Zoobiquidade

Termo criado pela cardiologista norte-americana Dra Barbara Natterson-Horowitz, é um neologismo contendo o prefixo “zoo” – relativo aos animais, e “ubiquidade” – que significa “está em toda parte, o tempo todo”.

Já vínhamos nos adaptando ao termo “Uma Só Saúde” (One Health). O conceito One Health foi divulgado pela primeira vez em 2007, através da colaboração entre a American Medical Association (AMA) e a Americal Medical Veterinary Association (AMVA) que criou uma estratégia mundial para a expansão de colaborações interdisciplinares e da comunicação em todos os aspectos dos cuidados de saúde humana e animal.Em 2008, a União Europeia abraçou este conceito e vem auxiliando a incrementar ações que tornem este conceito mais efetivo.

O Dr.Bruce Kaplan, médico veterinário americano, abraçou o movimento, pois acreditava que a sobrevivência do planeta depende do respeito à todas as espécies, e ao estudo e conhecimento de todos os fatores ambientais, microbiológicos, patogênicos, e a necessidade do Bem Estar como fator essencial ao equilíbrio imunológico e à Saúde dos seres vivos.

O conceito atual de Saúde perpassa muito mais pela compreensão que as boas condições alimentares, manejo, interações sociais e Bem Estar, com certeza garantem uma homeostasia do organismo e maior resistência aos agravos e epidemias.

Os médicos, médicos veterinários e todas as classes voltadas à Saúde, que vêm refletindo sobre a questão da Zooubiquidade, percebem que há uma vasta interface, que certamente levará ao estudo para a resolução de grande percentual dos problemas comportamentais, sociais, e mesmo das condições epidemiológicas, o complexo estudo dos vetores relacionados às zoonoses, dos animais domésticos, selvagens e sinatrópicos e os impactos ambientais envolvidos nas doenças infecciosas.

 

A  Dra Barbara observou comportamentos obsessivos em cavalos muito tempo confinados, depressão pós parto em gorilas, tentativas de suicídio em animais gravemente doentes, desenvolvimento de doenças degenerativas em animais nos zoológicos, comparáveis a aquelas que ocorrem aos seres humanos. Enfermidades chamadas como doenças do século XXI, como síndromes endócrinas, obesidade, doenças crônicas e mesmo o câncer vem aumentando tanto no homem como nos animais.

Além da problemática da vasta gama de zoonoses emergentes e reemergentes, e as doenças ligadas à Higiene Alimentar, que levaram ao estabelecimento de pesquisas ligadas ao conceito de Saúde Única, há uma necessidade cada vez maior  de estratégias e investigações médicas que formem uma ponte de compreensão para o tratamento e cura, assim como manutenção duradoura da Saúde de uma forma ampla, abrangendo Homem, Animais e Ambiente.

Esperamos que destas reflexões se expanda cada vez mais, iniciativas como o tratamento mais humanizado, maior consciência de preservação do meio ambiente e dos métodos de obtenção de toda a cadeia alimentar, manejos mais salutares, quer seja para a vida humana quer seja em relação à vida animal. Diminuir a pesada medicalização que ora se impõe no campo da Saúde, substituindo por meios mais naturais e menos agressivos, abrindo assim campo para as Práticas integrativas e Complementares, como a Homeopatia, Acupuntura, Florais, e Agropecuária Orgânica.

Da mesma forma, preservando a integridade emocional, voltar o pensamento para preservação do Meio Ambiente, economia dos recursos energéticos, desenvolvimento de estratégias de Sustentabilidade, num pensamento mais generosos e uníssono, de cooperação mais ampla e maior conscientização da premente necessidade que necessitamos com urgência de um mundo melhor, nos aspectos físico, mental e emocional.

Zooubiquidade, ou o nome que for mais adequado a cada um, vamos respeitar mais os seres vivos, o nosso meio ambiente, e o planeta que é nosso grande domicílio e precisa de nossa colaboração para sobreviver, e em contrapartida, sobrevivermos e termos um amanhã mais auspicioso.

By Leonora Mello

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *