Gastroenterite hemorrágica em cães nem sempre é viral

gastroenterite

Quando se fala em gastroenterite hemorrágica, logo se associa a infecção por viroses graves como a Parvovirose e a Coronavirose. Porém, ela pode ocorrer subitamente, e variados graus de sintomas e patogenicidade.

A gastroenterite hemorrágica é uma doença misteriosa, e pode acometer cães de diversas raças, independente de idade, ou de serem machos ou fêmeas.  Os sinais ocorrem em geral de forma aguda, podendo ou não ser precedidos por inapetência ou vômitos.

A diarreia pode começar mucoide, ficar esverdeada e depois hemorrágica. O animal desidrata rapidamente, apresenta grande desconforto e dor abdominal e necessita de cuidados imediatos como exames laboratoriais e de imagem. Cães jovens têm maior tendência a comer coisas indigestas que podem causar obstrução ou mesmo perfuração, sendo necessária intervenção cirúrgica.

È necessário muito cuidado no controle dos ectoparasitas, em especial os carrapatos. Há numerosos agentes patológicos que podem infectar os cães através da picada do carrapato e que transmitem doenças perigosas que em geral causam transtornos de coagulação. Diarreias hemorrágicas sem razão específica, mas na presença de carrapatos podem ser sintomas de uma destas doenças, causadas por Erlichia, Anaplasma, Mycoplasma haemocanis, Babesia, Rangelia, e muitas outras.

Outra condição que causa gastroenterite hemorrágica são as intoxicações por contato de substâncias venenosas, como inseticidas, desinfetantes, alimentos deteriorados, ou por intolerância alimentar. Estas intoxicações levam a danos hepáticos e que podem ser complicados por pancreatite.

Devemos lembrar que na época da Páscoa há grande número de internações em consequência da ingestão de chocolate. O organismo canino não tolera o chocolate, embora muitos deles adorem  comê-lo.

O chocolate contém grande quantidade de metilxantinas, em especial a teobromina, que é muito tóxica para os cães, atravessando a barreira hemantoencefálica e podendo causar até convulsões. Um cãozinho de dois quilos, se ingerir cerca de 120gramas de chocolate, pode morrer. Animais de maior porte não morrerão, mas poderão ter sintomas gastrointestinais, respiratórios e mesmo neurológicos.

Para os pacientes tratados precocemente, fluidos subcutâneos ou mesmo água potável podem ser suficientes, mas os líquidos intravenosos são recomendados para prevenir a “coagulação intravascular disseminada”, ou DIC, um distúrbio de coagulação potencialmente fatal .

A recuperação da gastroenterite hemorrágica varia com cada caso, mas de qualquer maneira é necessário acompanhar a reidratação, antibióticos serão prescritos, assim como uma dieta adequada. Exames devem ser feitos até haver a certeza que não há possibilidade de recidivas. Existem algumas raças, como o Rottweiller, Labrador, Schnauzer, que são especialmente sensíveis e podem ter estes episódios repetidos.

Sempre que houver diarreia e presença de sangue, devem ser feitos exames, para se detectar a causa e prontamente tratá-la. Nas condições crônicas,e mesmo nos quadros autoimunes como as enterites eosinofílicas e colites linfocíticas-plasmocíticas,  é de grande valia a utilização de dietas naturais, a fitoterapia  e a homeopatia.

 

by Leonora Mello

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *