Subinvolução dos locais placentários

Se a cadela já teve seus filhotes há mais de quinze dias, e o sangramento persiste, ou se havia parado de sangrar e o mesmo retornou, com certeza isto é um problema.

Se houve infestação de carrapatos recentemente, pensar nas doenças causadas pelos hemoparasitos que causam entre os variados sintomas alteração na coagulação.

Porém há outras possibilidades, entre elas uma afecção chamada “Subinvolução dos locais placentários” (SIPS).

Normalmente, o endométrio, que é o revestimento interno do útero, leva de 4 a 6 semanas para se recompor após o parto. No entanto, na SIPS, células que faziam parte da placenta, chamadas trofoblásticas, continuam se desenvolvendo de forma anormal, invadem a mucosa(endométrio) e se aprofundam cada vez mais, através da camada muscular(miométrio) e atingem a parte vascular.  A doença pode ser auto-limitante,  ou pode haver contaminação por bactérias, causando uma endometrite.  Porém se houverem outros pontos com a mesma alteração a hemorragia pode ser de maior porte e colocar a cadela em risco.

A utilização de antibióticos nesta condição, não é suficiente para sustar a hemorragia. Há tratamento hormonal utilizado junto à antibioticoterapia que pode auxiliar, mas em muitos casos será necessária a ovariohisterectomia para solucionar de fato o problema.

Se a cadela já teve seus filhotes há mais de quinze dias, e o sangramento persiste, ou se havia parado de sangrar e o mesmo retornou, com certeza isto é um problema.

Se houve infestação de carrapatos recentemente, pensar nas doenças causadas pelos hemoparasitos que causam entre os variados sintomas alteração na coagulação.

Porém há outras possibilidades, entre elas uma afecção chamada “Subinvolução dos locais placentários” (SIPS).

Normalmente, o endométrio, que é o revestimento interno do útero, leva de 4 a 6 semanas para se recompor após o parto. No entanto, na SIPS, células que faziam parte da placenta, chamadas trofoblásticas, continuam se desenvolvendo de forma anormal, invadem a mucosa(endométrio) e se aprofundam cada vez mais, através da camada muscular(miométrio) e atingem a parte vascular.  A doença pode ser auto-limitante,  ou pode haver contaminação por bactérias, causando uma endometrite.  Porém se houverem outros pontos com a mesma alteração a hemorragia pode ser de maior porte e colocar a cadela em risco.

Além dos sintomas, alguns exames  podem auxiliar no diagnóstico como o hemograma, a citologia vaginal e a ultrassonografia.

A utilização de antibióticos nesta condição, não é suficiente para sustar a hemorragia. Há tratamento hormonal utilizado junto à antibioticoterapia que pode auxiliar, mas em muitos casos será necessária a ovariohisterectomia para solucionar de fato o problema.

Por Leonora Mello

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *