Óleos Essenciais em animais de companhia

O uso de óleos essenciais vem tomando espaço no arsenal terapêutico  da Medicina Complementar. Muito utilizado em humanos, pouco a pouco se estuda as possibilidades de utilizar seus benefícios em animais de companhia.

            Porém, alguns fatores podem limitar sua utilização. Uma delas é o preço, muitos deles são extremamente caros, pela dificuldade de sua obtenção. Outro detalhe muito importante é a utilização de óleos essências de qualidade, obtidos de empresas já consagrada.

            Uma limitação importante é que eles nunca devem ser utilizados internamente em animais, uma vez que ainda não se sabe seu impacto no sistema digestivo e na flora bacteriana dos cães e gatos. Aliás sua utilização em gatos, mesmo em uso externo ainda é bem limitada, uma vez que eles são muito sensíveis e podem gerar reações indesejáveis e mesmo perigosas.

Páginas: 1 2

Terapia a laser em cães e gatos

Foi o gênio chamado Albert Einstein quem postulou uma teoria em que um átomo quando estimulado poderia liberar fótons e assim nasceu o termo LASER- Light Amplification by Stimulated Emission of Radiation. Isto é, amplificação da luz por emissão estimulada de radiação. Quem começou de fato a aplicar a terapia laser foi o D. Endre Mester, na Hungria, em 1965, em experimentos com camundongos.

       A terapia foi evoluindo, com a utilização de “Lower Intensity Laser Therapy”, isto é, utilização de laser de baixa intensidade. Em 2014, os estudiosos que aplicavam esta terapia começaram a chamá-la de terapia por Fotobiomodulação.

         Os lasers utilizados atualmente no tratamento do controle da dor e lesões articulares, musculares, dermatológicas, humano e veterinário, são das classes IIIb, e às vezes, da classe IV.

         Os lasers com ação fotoquímica na interação com células variam de laser azul ao infravermelho. O espectro mais utilizado em fisiatria veterinária é de 600 a 980 nm. O comprimento de onda influencia na profundidade da penetração da luz.

Páginas: 1 2

CROMOTERAPIA

 

https://curtaiptv.top/1nnkl

A Cromoterapia é uma Terapia Integrativa e Complementar que utiliza as  cores. Ela auxilia o equilíbrio e a harmonia entre corpo, mente e emoções. Cada cor tem sua função terapêutica específica e atua em um chakra ou um órgão do corpo.

Durante anos utilizou-se a cromoterapia como uma das Terapias Complementares  em seres humanos, mas recentemente ela tem sido utilizada em animais, principalmente em cães e gatos.

Continue Reading →

Será que meu Cão tem “Olho Seco” ?

http://www.animaleye.com.au/Information/AboutEyeDiseases/DryEye/tabid/21047/Default.aspx

        A Síndrome do olho seco ocorre quando há produção insuficiente do filme lacrimal. O filme lacrimal é composto por glicoproteínas, lipídio, sua, eletrólitos, imunoglobulinas, lactoferrina, lisozima e citocinas. Pela sua composição, ele cumpre importante papel na proteção e homeostase da superfície ocular.
O filme ocular ainda possui as funções de fornecer oxigênio para a córnea; lubrificação da córnea, diminuindo seu atrito com as pálpebras no ato de piscar; fonte de proteína com ação antimicrobiana; remoção de febris e restos celulares por meio da sua drenagem.

Continue Reading →

Dor Articular em Cães e Gatos e seu Tratamento Complementar

http://creatureclinic.com/wp-content/uploads/2014/05/arthritis.png

Pode ocorrer dor aguda ou crônica em qualquer cão. Independente de idade ou raça, lesões podem ocorrer, de ordem aguda ou crônica. Geralmente as lesões agudas são devido a algum traumatismo, ou por excesso de exercício sobrecarregando alguma articulação.

Geralmente a dor aguda é superada em poucos dias, algumas vezes necessitando de anti-inflamatórios, que podem ser derivados de corticóides ou os AINES, os anti-inflamatórios não esteroidais. Com eficácia comprovada, também são conhecidos os seus numerosos efeitos colaterais se utilizados de modo incorreto, ou se ocorrer hipersensibilidade ao fármaco.

Continue Reading →

Lágrima ácida em cães e gatos

 

É comum vermos cãezinhos, e alguns gatos apresentarem manchas avermelhadas ou marrons nos pelos  junto aos olhos. O nome disto chama-se epífora e tem várias causas.

Nos cães, as raças mais acometidas são Poodles, Maltês, Bulldog Inglês, Lhasa Apso e Shih Tzu e os gatos que também sejam braquicéfalos, isto é, aqueles que possuem o focinho achatado.

Este focinho mais curto, e o globo ocular mais saltado dificulta a drenagem da lágrima. A drenagem das glândulas lacrimais no cão é feita através de orifícios superior e inferior, um canalículo superior e inferior, um saco lacrimal pouco desenvolvido e um duto nasolacrimal. Qualquer destas partes pode ficar obstruída, ou por inflamações ou por estreitamentos que ocorrem desde o nascimento, sendo inclusive por erros de origem genética. Continue Reading →

Zoobiquidade

Termo criado pela cardiologista norte-americana Dra Barbara Natterson-Horowitz, é um neologismo contendo o prefixo “zoo” – relativo aos animais, e “ubiquidade” – que significa “está em toda parte, o tempo todo”.

Já vínhamos nos adaptando ao termo “Uma Só Saúde” (One Health). O conceito One Health foi divulgado pela primeira vez em 2007, através da colaboração entre a American Medical Association (AMA) e a Americal Medical Veterinary Association (AMVA) que criou uma estratégia mundial para a expansão de colaborações interdisciplinares e da comunicação em todos os aspectos dos cuidados de saúde humana e animal.Em 2008, a União Europeia abraçou este conceito e vem auxiliando a incrementar ações que tornem este conceito mais efetivo. Continue Reading →