Somos todos feitos de partículas

Somos todos um, em última instância, compostos dos mesmos prótons, elétrons, nêutrons, e outras tantas ultapartículas, que se mantém em coesão e em constante vibração através de uma Força cósmica, que chamamos “Energia Vital” ou “Força Vital”. O homeopata americano James Tyler Kent chamava de “Substância Simples”.

               Quando compreendemos isso, começamos a entender também os caminhos de manter ou restaurar o equilíbrio destas infinitas conexões energéticas. Alguns pensam em potenciais atômicos bélicos, mas são a Paz e a Cura os verdadeiros caminhos que devemos buscar.

               Os antigos descobriram pela Acupuntura, e séculos depois, pela Alquimia, seguida da Homeopatia, Florais, Radiestesia, Meditação, exercícios respiratórios como nas práticas de Tai Chi Chuan ou Kung Fu….

               A Ciência e a Medicina convencionais andam a passos largos, mas sempre serão interações químicas e energéticas sobre nossas conexões. Não nos esqueçamos que em síntese, somos todos moléculas em funcionamento, enquanto tivermos a Benção de uma Força nos vitalizando.

A subjetividade da dor nos animais – não a subestime

O animal de companhia, por mais confiança que tenha em seus tutores, guarda lembranças ancestrais de autopreservação e uma delas é ser muito reservado quanto à demonstrações de dor.

               Sim, há aqueles que são bem melodramáticos, mancam só de encostar na patinha, gritam e mostram um belo e teatral exagero. Mas na maioria das vezes, eles não manifestam que estão com dor, ou só o fazem quando chega num ponto insuportável.

               Os tutores em geral trabalham fora e precisam se ausentar de casa uma boa parte do tempo, e podem ocorrer acidentes, quedas, batidas, traumatismos, que ao chegarem em casa, eles nada percebem, até que seu cão ou gato começam a desenvolver sintomas.

                Ou outro tipo de adoecimento que vai complicando até que muitos sintomas clínicos começam a aparecer, e há necessidade de se levar ao médico veterinário com urgência.

continua a seguir

Páginas: 1 2

Dinamização em Homeopatia

            Todo mundo sabe que medicamentos homeopáticos são uma forma suave e segura de tratamento. Eles são manipulados como substâncias ultra-moleculares, altamente diluídas, sem efeitos colaterais, podendo ser administrados complementando outros tratamentos.

            Eles são prescritos com diferentes dinamizações, e isto faz parte de um fundamento homeopático desenvolvido pelo mentor da Homeopatia, Samuel Hahnemann.

            Por muitos anos, o Dr. Hahnemann aplicou a lei dos semelhantes com substâncias diluídas, mas ainda em doses ponderais, isto é, poderiam ser encontradas moléculas com atividade biológica nas diluições. E embora seu método tenha se mostrado um sucesso, alguns dos medicamentos ainda poderiam apresentar efeitos colaterais, que ele chamava também de secundários, como nas preparações com mercúrio e arsênico.

            Para evitar os sintomas de intoxicação dos medicamentos, Hahnemann começou a diluí-los, e teve a intuição de associar ao preparo das ultra-diluições, vigorosas agitações, obtendo um medicamento homeopático poderoso, atuando não mais pela ação material conhecida, mas através da conexão com a energia vital do indivíduo quando em similitude, e para uma maior compreensão podemos imaginar  como ocorre na sintonização das estações do rádio.

Páginas: 1 2

Alimentação natural x Alimentação funcional

Muito embora algumas pessoas estejam considerando que uma alimentação natural seja mais saudável que ração para seus animais de estimação, são necessárias algumas considerações.

            É importante ter um olhar que considere amplo, e uma compreensão que o organismo de um cão doméstico, ou de um gato doméstico, tem suas peculiaridades, necessidades, restrições, e que em muitos aspectos, diferem muito do sistema digestivo humano. Não se pode pensar em administrar uma dieta caseira aos pets, a partir da alimentação da família humana. Não vai dar certo e a curto ou longo prazo irão aparecer repercussões na saúde dos animais.

            Apenas seguir receitas oferecidas por sites leigos na internet, sem a compreensão das necessidades básicas, do balanceamento, e das características próprias do cão ou do gato, também pode não ser uma escolha favorável.

            Quando se fala em alimentação natural, pode-se pensar em produtos orgânicos, alimentação caseira, alimentos isentos de agrotóxicos, conservantes, antibióticos. Porém, algo muito importante, são as necessidades nutricionais de cada espécie. É comum aparecer em nosso consultório animais que vem sendo alimentados com dietas naturais, mas que não estão saudáveis, e percebemos que há um desbalanceamento proteico, de microelementos, ou aminoácidos e ácidos graxos essenciais.

             Creio que o caminho nutricional mais conveniente é alimentação funcional balanceada. E esta, pode ser a partir de rações super premium, que cada vez estão ficando mais adequadas, ou de alimentação natural, mas dentro da proposta funcional. Existem rações industrializadas que utilizam os alimentos sem corantes, e com conservantes naturais, algumas reações são feitas por enzimas naturais, e o processo de aquecimento e hidrólise , desde que não sejam utilizados produtos sintéticos, são considerados alimentos naturais pela AAFCO ( Association of American Feed Control Officials).

Continue lendo…

Páginas: 1 2

Homeopatia Veterinária e as doenças incuráveis

Quando estamos diante de um diagnóstico de doença incurável, logo associamos à morte, mas não precisa ser assim. Em relação aos animais de produção não há muito o que fazer pois sua importância está ainda ligada à economia. Em relação aos animais silvestres e selvagens, só haverá alguma chance se eles estiverem sob a guarda e responsabilidade de alguém, não há como um animal doente e precisando de cuidados constantes sobreviver sozinho na natureza.

               Em relação aos animais de companhia, atualmente a Clínica e Cirurgia Veterinária, os exames laboratoriais e de imagem, as opções terapêuticas, estão emparelhando com os da Medicina Humana, mas mesmo assim, é claro, chega um momento que os recursos já não adiantam.

               Para agregar qualidade ao tratamento e sobrevida, temos a Homeopatia, que ajuda e muito a manter o paciente em condições dignas, naturalmente junto com outros recursos, nutricionais e terapêuticos.

               Comprovadamente a Homeopatia auxilia no controle da dor, de infecções, melhora a imunidade, e no caso de doenças crônicas e incuráveis como o câncer, cardiopatias, doença renal crônica, artrites, doenças degenerativas e autoimunes, endocrinopatias, doenças metabólicas, doenças inflamatórias pulmonares ou intestinais, Síndrome da Disfunção Cognitiva do animal idoso, infecções de repetição, doenças somáticas, desequilíbrios emocionais e comportamentais…

Continue lendo….

Páginas: 1 2

Homeopatia e a Medicina Veterinária

Com o crescimento das Terapias Integrativas e Complementares, aos poucos vem aumentando a aceitação dos responsáveis/tutores pelos animais de companhia em utilizá-las. Porém, são tantas, que umas se entremeiam às outras e se confundem. Por exemplo, muitos ainda acham que a utilização de fitoterápicos, florais e produtos ortomoleculares fazem parte da terapia homeopática. E não é bem assim…. venho então neste breve texto explicar um pouco sobre Homeopatia Veterinária.

            Como Médica Veterinária, posso fazer uso da Homeopatia, uma vez que cursei a pós-graduação, ou se achar necessário, da Acupuntura, da Auriculoterapia, da Moxabustão, do laser ultra-vermelho, ou o apenas a radiação de luz vermelha, cujos estudos completei também com após outra especialização…. Uso se necessário estes recursos, assim como a aplicação de outros cursos que fui fazendo ao longo da vida, como florais, tinturas, chás, extratos, fórmulas ortomoleculares, e mesmo radiestesia, embora, esta última prática eu deixe para meus estudos em casa sobre algum caso em particular, assim como tento desenvolver meus estudos de Reiki e outros caminhos quânticos que aparecerem.

            É importante citar, que para se ter proficiência nas práticas integrativas, é necessária uma base muito sólida em clínica médica geral, e estar sempre fazendo atualizações sobre a Medicina convencional, os exames a serem solicitados, nas novidades diagnósticas, nas doenças emergentes. E aí sim, aplicar o conhecimento de uma forma diferenciada, mas lúcida e com bom senso. E muitas vezes, as terapias integrativas trabalham como coadjuvantes da terapia convencional alopática, e também dá certo! Minimizando efeitos colaterais, permitindo diminuição de doses, ajudando nos cuidados paliativos… Com conhecimento, consciência e muito estudo, muita coisa é possível de se fazer!

Se está apreciando o texto, continue lendo!

Páginas: 1 2

Efeito imunomodulador das beta-glucanas em animais de companhia

Beta-glucanas representam um dos principais componentes estruturais da parede celular de fungos, leveduras e cereais, assim como algumas bactérias e algas. Em cereais, particularmente, as beta-glucanas são encontradas principalmente na cevada, aveia e no trigo. Estas estruturas são classificadas como polissacarídeos complexos, e fibras solúveis.

            Foi observado, através de estudos em humanos e nos animais, a capacidade da beta-glucana de influenciar os processos fisiológicos e metabólicos do corpo tais como estimulação da saciedade, redução das concentrações sorológicas de glicose e colesterol e redução do peso corporal. Esses efeitos podem contribuir significativamente para a prevenção e tratamento de doenças, como a obesidade. Por exemplo, vem sendo estudado o uso de beta-glucana da aveia como suplemento em cães, mas ainda precisam ser desenvolvidos novos estudos.  

Páginas: 1 2

Nutrigenômica em cães e gatos. O que é isso? PARTE II

Vimos no texto anterior que os macronutrientes e micronutrientes não afetam todos os indivíduos da mesma forma porque a dieta na verdade se comporta como um importante fator ambiental que interage com os gens. Assim hoje estão se desenvolvendo as ciências da nutrigenômica e nutrigenética, que levam em conta processos dietéticos e terapêuticos para ajudar no controle da obesidade, artroses, doenças cardiovasculares, endocrinopatias, e mesmo o câncer.

Páginas: 1 2

Nutrigenômica em cães e gatos. O que é isso?

Em 2004, o National Institute of Health (NIH), nos Estados Unidos, concluiu o mapeamento do genoma canino, num projeto chamado “NHGRI Dog Genome Project”e o projeto de mapeamento do genoma felino está em andamento. Esse mapeamento, em conjunto com o conhecimento de que a progressão de um estado saudável para um estado de doença pode ser acompanhada por uma mudança na expressão dos gens, é uma ciência emergente na medicina veterinária.

            A nutrigenômica analisa a interação de nutrientes e alimentos com os genes. Ela estuda a nível molecular, como os nutrientes comuns na dieta podem influenciar a expressão genética de um cão ou um gato. Entendo-se melhor as vias metabólicas, pretende-se otimizar a saúde geral destes animais.

            Devido ao aumento da longevidade nos últimos anos, cães e gatos vêm sendo usados ​​como modelos animais para as mesmas doenças genéticas e nutricionais que os humanos sofrem. Os cães, em particular, são modelos animais para condições como artrite, vários tipos de câncer, doenças cardíacas e doenças metabólicas crônicas, incluindo obesidade e diabetes. Como há um componente genético para essas doenças, a nutrigenômica em Medicina Veterinária nasceu e está se desenvolvendo com o foco de minimizar a expressão destes gens que potencializam o aparecimento de doenças.

            Por exemplo, os cães estão se tornando mais obesos pelas mesmas razões que os humanos – uma potencial predisposição genética combinada com a redução de exercícios diários e aumento do consumo calórico. Portanto, faz sentido que doenças com componentes genéticos e nutricionais pode começar a ser abordado por meio da nutrigenômica e que os animais de companhia podem servir como o modelo nutrigenômico para a obesidade em humanos.

Páginas: 1 2