Doença Inflamatória Intestinal Felina

A DII (doença inflamatória intestinal) em gatos domésticos tem se tornado mais frequente, ou talvez, mais diagnosticada devido ao maior acesso aos meios de diagnóstico por imagem, sobretudo a ultrassonografia.

Podem ocorrer sintomas como diarreia, diminuição do apetite, náusea e vômitos, dores abdominais, e por vezes ocorrem complicações como a pancreatite e a tríade felina (que envolve inflamação em fígado, pâncreas e intestino delgado).

As causas de DII são variadas, pode iniciar pela presença de parasitas intestinais (vermes, Giardia sp, Criptosporidium, etc), corpo estranho não obstrutivo, naqueles gatos que costumam mastigar e engolir plástico e outras coisas não comestíveis, intolerância ou alergia alimentar, alteração na flora intestinal (pelo uso excessivo de antibióticos ou outros medicamentos). Pode se tornar crônica e vai adquirindo um perfil de doença autoimune, daí chamando-se enterite plasmocítica-linfocítica. Alguns autores relatam que casos crônicos sem tratamento, ou que não respondem bem ao tratamento, podem evoluir para linfoma intestinal.

É muito difícil fazer o diagnóstico diferencial de DII e de um quadro mediano de linfoma, que costuma ter um comportamento  de crescimento lento, perda da integridade das camadas internas, visualizado pela ultrassonografia, persistência dos linfonodos mesentéricos, e eventualmente metástases em outros órgãos.

O mais recomendado é iniciar o tratamento tão logo seja diagnosticada a doença inflamatória intestinal, com dieta hipoalergênica, probióticos e outros medicamentos, tentando descobrir as causas. A homeopatia pode auxiliar, e pode-se citar Arsenicum album, Mercurius cor, Podophylum, Gambogia, Iris versicolor, Sulphur, Veratrum, Colibacilinum…Para cada caso, com seus sinais e sintomas, poderá ser feita uma prescrição adequada, que irá aliviar os sintomas ou mesmo curar.

By Leonora Mello

Dor Articular em Cães e Gatos e seu Tratamento Complementar

http://creatureclinic.com/wp-content/uploads/2014/05/arthritis.png

Pode ocorrer dor aguda ou crônica em qualquer cão. Independente de idade ou raça, lesões podem ocorrer, de ordem aguda ou crônica. Geralmente as lesões agudas são devido a algum traumatismo, ou por excesso de exercício sobrecarregando alguma articulação.

Geralmente a dor aguda é superada em poucos dias, algumas vezes necessitando de anti-inflamatórios, que podem ser derivados de corticóides ou os AINES, os anti-inflamatórios não esteroidais. Com eficácia comprovada, também são conhecidos os seus numerosos efeitos colaterais se utilizados de modo incorreto, ou se ocorrer hipersensibilidade ao fármaco.

Continue Reading →

Lágrima ácida em cães e gatos

 

É comum vermos cãezinhos, e alguns gatos apresentarem manchas avermelhadas ou marrons nos pelos  junto aos olhos. O nome disto chama-se epífora e tem várias causas.

Nos cães, as raças mais acometidas são Poodles, Maltês, Bulldog Inglês, Lhasa Apso e Shih Tzu e os gatos que também sejam braquicéfalos, isto é, aqueles que possuem o focinho achatado.

Este focinho mais curto, e o globo ocular mais saltado dificulta a drenagem da lágrima. A drenagem das glândulas lacrimais no cão é feita através de orifícios superior e inferior, um canalículo superior e inferior, um saco lacrimal pouco desenvolvido e um duto nasolacrimal. Qualquer destas partes pode ficar obstruída, ou por inflamações ou por estreitamentos que ocorrem desde o nascimento, sendo inclusive por erros de origem genética. Continue Reading →

Homeopatia e Acupuntura Veterinária na UNIFESO

Na Clínica Escola da Faculdade de Medicina Veterinária da UNIFESO também há atendimento nas especialidades de Homeopatia e Acupuntura Veterinária.

O atendimento com Terapias Complementares ( Homeopatia, Acupuntura, Florais de Bach e de Minas, Fitoterapia, Ortomolecular) ocorre individualmente ou concomitantemente com  atendimentos clínicos convencionais do Projeto Saúde Animal para a população de baixa renda e alunos, às 2as e 6as, durante o horário das aulas práticas.

Continue Reading →

Síndrome de disfunção cognitiva do cão idoso

 

A SDC é a deterioração relacionada à idade (a partir de 10-11 anos de idade), das habilidades cognitivas, caracterizadas por mudanças comportamentais nos cães.

Os sintomas de SDC não são sinais de um “envelhecimento normal”. O cão idoso sadio mantém a mesma personalidade, humor, e interatividade, respeitados limites da idade. Se ele está ficando esquecido, irritável, com descontrole de esfíncteres, mudanças de hábitos, pode estar havendo um comprometimento de suas funções cerebrais, num processo degenerativo semelhante ao que acontece com os seres humanos.

Um número de mudanças fisiopatológicas parecem ser responsáveis:

1) depósito de placas amilóides no córtex cerebral e no hipocampo

2) alterações nos neurotransmissores, incluindo a dopamina

3)  níveis aumentados de monoaminaoxidase   B (MAOB) no cérebro

4)níveis aumentados de radicais livres

Continue Reading →