Síndrome de disfunção cognitiva do cão idoso

 

A SDC é a deterioração relacionada à idade (a partir de 10-11 anos de idade), das habilidades cognitivas, caracterizadas por mudanças comportamentais nos cães.

Os sintomas de SDC não são sinais de um “envelhecimento normal”. O cão idoso sadio mantém a mesma personalidade, humor, e interatividade, respeitados limites da idade. Se ele está ficando esquecido, irritável, com descontrole de esfíncteres, mudanças de hábitos, pode estar havendo um comprometimento de suas funções cerebrais, num processo degenerativo semelhante ao que acontece com os seres humanos.

Um número de mudanças fisiopatológicas parecem ser responsáveis:

1) depósito de placas amilóides no córtex cerebral e no hipocampo

2) alterações nos neurotransmissores, incluindo a dopamina

3)  níveis aumentados de monoaminaoxidase   B (MAOB) no cérebro

4)níveis aumentados de radicais livres

Sinais  de SDC

 A síndrome se manifesta com os seguintes sinais e sintomas: Desorientação; Vagueia sem rumo; Parece perdido dentro de casa ou jardim; Tenta “furar” a mobília; Olhares fixos no espaço ou em paredes; Acha com  dificuldade a porta;  Não reconhece pessoas familiares; Não responde às sugestões ou ao nome verbal; Parece esquecer-se da razão para ir ao ar livre;  Resposta diminuída ou alterada aos membros da família; Solicita pouco a atenção ; Cumprimento menos entusiástico; Já não cumprimenta proprietários; Dorme mais; Dorme menos durante a noite; Diminuição da atividade;  Perda do treinamento (esquece onde tem de urinar ou defecar);

A SDC acomete:

48% dos cães a partir de 8 anos

62% dos cães entre 11 e 16 anos

100% dos cães com 16 anos ou mais

Esta condição pode ser amenizada quando o animal tem acesso a uma boa alimentação desde filhote, sendo vermifugado e vacinado,  não se expondo ao risco de doenças infectocontagiosas e imunodebilitantes, e quando se mantém saudável, sem a utilização excessiva de medicamentos e substâncias tóxicas. Muito importante também as visitas periódicas ao médico veterinário, fazendo check ups preventivos, que proporcionam tratamentos adequados ao longo da vida, o que diminui a ocorrência de adoecimentos e processos degenerativos. A utilização complementar de medicamentos homeopáticos, fitoterápicos e da acupuntura também auxiliam bastante na manutenção da saúde.

Leonora Mello

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *