Eu divido minha refeição com meu pet – O que é que tem?

 

Os animais de companhia estão a cada dia mais próximos e muitos são considerados membros da família. Mas é importante lembrar que eles não podem comer a mesma comida que comemos no nosso dia a dia, pois possuem um sistema digestivo diferenciado e mais frágil.

Os cães possuem quantidades menores de uma enzima chamada amilase, e desta forma sua digestão não começa na boca, como ocorre com os seres humanos, mas no próprio estomago. Alguns condimentos como cebola, cebolinha e alho são tóxicos para cães e gatos, causando anemias. Também não conseguem metabolizar alimentos muito gordurosos, apresentando logo alterações de fígado e vesícula biliar.  Ou se ingerem grandes quantidades de carne, há distúrbios em seu metabolismo, apresentando diarreias e mesmo pancreatite agudas de difícil resolução.

È importante compreender que às vezes ocorrem problemas até com a utilização de rações. Rações de filhotes para idosos, por terem grãos pequenos, são prejudiciais, pois contém mais sódio, o que acarreta aumentos na pressão arterial, proteínas de mais difícil digestão, o que pode levar a aumentos da uréia e creatinina com prejuízo dos rins,  mais cálcio, o que pode levar à formação de cálculos renais, uretrais, vesicais. O mesmo poderá ocorrer se forem utilizadas rações terapêuticas por longo tempo sem monitorização dos exames laboratoriais e avaliação dos animais.

Voltando aqueles casos onde o cão ou gato de estimação, divide as refeições com seus tutores, pode haver, além do aspecto de problemas de digestibilidade, um risco para a saúde, pois há casos onde se o animal comer restos da refeição de seu tutor, e tendo ele a bactéria Helicobacter pilori, por exemplo , ou tuberculose negligenciada, poderá estar transmitindo estas enfermidades para ele.

Atualmente há médicos veterinários especializados em nutrologia, que adequam as refeições individualmente, de acordo com as necessidades de cada animal. Pode ser apenas porque o tutor optou por não oferecer mais ração, ou porque ele tem alguma necessidade especial, como alergia alimentar, intolerância a algum alimento, obesidade, alterações endócrinas, renais, dermatológicas, etc.

Vale lembrar que as terapias Integrativas, em especial a Homeopatia Veterinária auxiliam muito os casos de alterações metabólicas, digestivas, intolerâncias, alergias, dispensando a utilização de medicações fortes, que têm o risco de efeitos colaterais.

 

By Leonora Mello

 

JUNHO

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *