A Síndrome do Estress Pós–traumático Secundário em Médicos Veterinários

Sabe-se que a incidência de problemas psicológicos em Médicos Veterinários, e mesmo a taxa de suicídio é mais elevada do que em relação ao resto da população, não só no Brasil, como em vários países, como na Inglaterra, por exemplo.

A Síndrome de Burnout é um distúrbio psíquico de caráter depressivo, precedido de esgotamento fisico e mental intenso. O desejo de sempre fazer o melhor e sempre demonstrar alto grau de desempenho é outra fase importante da síndrome: o portador de Burnout mede a autoestima pela capacidade de realização e sucesso profissional. O que tem início com satisfação e prazer termina quando esse desempenho não é reconhecido, ou se tem a ilusão que não está sendo reconhecido. Na verdade é uma concepção incorreta, onde a meta não é cumprir bem seu trabalho, mas uma certa obsessão por ser “visto”. Na área de saúde, é comum, o profissional dar tudo de si, ultrapassando seus limites, fazendo muitas e muitas horas extras, e no fim ou não ser reconhecido, ou ainda criticado, ou o pior, o paciente , além de todos os melhores esforços, não resiste e morre.

Bastante recorrente em nossa profissão, outro distúrbio muito próximo à Sindrome de Burnout, também chamada de “Estress Pós-Traumático Secundário”, ou “Fadiga pela Compaixão”, é um fantasma que deve ser reconhecido e combatido, antes que comece a prejudicar a performance e toda a vida do profissional. Continue Reading →

MAIS SOBRE FEBRE AMARELA E OS MACACOS

repercute_febre_amarela_13_01_2017febreamarela_post8

O vírus da febre amarela é transmitido ao homem através da picada de fêmeas de mosquitos infectadas. Esses mosquitos são chamados de Haemagogus e Sabethes, vivem em área de mata, principalmente nas copas das árvores. O mosquito Aedes aegypti se adaptou ao vírus e é o principal transmissor nas cidades.

Os sintomas iniciais incluem febre de início súbito, calafrios, dor de cabeça, dores nas costas, dores no corpo em geral, náuseas e vômitos, fadiga e fraqueza. Em casos graves, a pessoa pode desenvolver febre alta, icterícia (coloração amarelada da pele e do branco dos olhos), hemorragia e, eventualmente, choque e insuficiência de múltiplos órgãos. Cerca de 20-50% das pessoas que desenvolvem doença grave podem morrer.

Não há nenhum tratamento específico contra a doença. O médico deve tratar os sintomas, como as dores no corpo e cabeça, com analgésicos e antitérmicos. Salicilatos devem ser evitados (AAS e Aspirina), já que seu uso pode favorecer o aparecimento de manifestações hemorrágicas. O médico deve estar alerta para quaisquer indicações de um agravamento do quadro clínico

Agora, atenção: Ao contrair a doença, a pessoa pode se tornar fonte de infecção para o Aedes aegypti no meio urbano. Logo, a vacinação em caso de incidências isoladas da doença, como estamos vivendo no momento, é essencial para afastar o perigo de surto epidêmico da mesma.

Os macacos vivem nas florestas, e ali devem ficar. Eles são muito vulneráveis à febre amarela, e é o homem infectado em novos surtos que pode levar a doença a eles, uma vez que estava controlada. Eles não podem ser vacinados pois são considerados animais sentinelas, isto é, sinalizam onde há a doença. Matar macacos não vai ajudar em nada em caso de surto, pois é o homem que estará veiculando o vírus.

PORTANTO, POR FAVOR, NÃO FAÇAM NADA CONTRA OS MACACOS, ELES SÃO VÍTIMAS, NÃO OS ALGOZES DA FEBRE AMARELA. VAMOS COMBATER O MOSQUITO E NOS VACINAR !!!!!

01

Gastroenterite hemorrágica em cães nem sempre é viral

gastroenterite

Quando se fala em gastroenterite hemorrágica, logo se associa a infecção por viroses graves como a Parvovirose e a Coronavirose. Porém, ela pode ocorrer subitamente, e variados graus de sintomas e patogenicidade.

A gastroenterite hemorrágica é uma doença misteriosa, e pode acometer cães de diversas raças, independente de idade, ou de serem machos ou fêmeas.  Os sinais ocorrem em geral de forma aguda, podendo ou não ser precedidos por inapetência ou vômitos.

A diarreia pode começar mucoide, ficar esverdeada e depois hemorrágica. O animal desidrata rapidamente, apresenta grande desconforto e dor abdominal e necessita de cuidados imediatos como exames laboratoriais e de imagem. Cães jovens têm maior tendência a comer coisas indigestas que podem causar obstrução ou mesmo perfuração, sendo necessária intervenção cirúrgica. Continue Reading →

O super vilão Aedes aegypti ameaça também os animais

Um pequeno inseto e um poder de destruição tão grande. O mosquito Aedes aegypti tem preocupado toda a Comunidade Médica e os pesquisadores das questões Sanitárias e Epidemiológicas, pois cada vez mais se torna o carreador de mais e mais doenças infecto-contagiosas.

Já é sabido que transmite a dengue, a zika, a chikungunha. Nas últimas semansa porém, temos tidos inúmeros alertas de cidades com casos de febre amarela, quando, erroneamente culpam os pequenos primatas que vivem próximos às matas das cidades. Mas a culpa realmente é mais uma vez do Aedes aegypti, junto com o igualmente perigoso mosquito tigre, o Aedes albopictus.

            Ainda há outra doença reemergente chamada Mayaro, que tem sido detectada em algumas partes do país, assemelhando-se ao dengue.

Continue Reading →

Dor Articular em Cães e Gatos e seu Tratamento Complementar

http://creatureclinic.com/wp-content/uploads/2014/05/arthritis.png

Pode ocorrer dor aguda ou crônica em qualquer cão. Independente de idade ou raça, lesões podem ocorrer, de ordem aguda ou crônica. Geralmente as lesões agudas são devido a algum traumatismo, ou por excesso de exercício sobrecarregando alguma articulação.

Geralmente a dor aguda é superada em poucos dias, algumas vezes necessitando de anti-inflamatórios, que podem ser derivados de corticóides ou os AINES, os anti-inflamatórios não esteroidais. Com eficácia comprovada, também são conhecidos os seus numerosos efeitos colaterais se utilizados de modo incorreto, ou se ocorrer hipersensibilidade ao fármaco.

Continue Reading →

CUIDADOS COM SEU ANIMAL DE COMPANHIA DURANTE AS FESTAS DE FINAL DE ANO

Final de ano  é sinônimo de festa,  alegria, descontração e todas as manifestações  para   comemorar  um tempo novo que chega.

Porém, às vezes a empolgação é demais, e um exemplo disso são os excessivos fogos de artifício que soltam. Ocorre que os animais de estimação sofrem muito com isso!

A audição dos cães é muito superior á dos seres humanos. Conseguem detectar um som quatro vezes mais distante do que o homem. Além disso, o seu intervalo de frequências auditivas é também, mais vasto. Os cães conseguem detectar frequências que vão desde os 10Hz até aos 40.000Hz.

Já audição dos gatos, é muito apurada e é mais sensível aos sons agudos. Enquanto a frequência de percepção humana vai até aos 20.000Hz, a dos gatos vai de 60Hz até cerca dos 65.000Hz. É por esta razão que os gatos percebem o movimento humano a alguns metros de distância. Continue Reading →

CÃES E FRUTAS????

Meu cão adora frutas! Mas…..qual delas ele pode comer?????

IMG_20160725_192941866 (1)

    O hábito de cães de companhia comerem frutas é bastante saudável, desde que se saiba que algumas frutas podem fazer mal, e que em tudo é necessário bom senso.  Comer frutas em excesso de uma só vez pode provocar acidez, má digestão, vômitos ou diarreia, assim como acontece com qualquer alimento deglutido em demasia.

Abaixo fizemos um quadro das frutas que podem comer sempre, aquelas em que é preciso ter cuidado, e as que são proibidas. Embora cada uma delas tenha uma riqueza em nutrientes, é necessário levar em consideração a sensibilidade individual de cada cãozinho. E isto vale para os gatinhos que curtem frutas também!

Continue Reading →

Lágrima ácida em cães e gatos

 

É comum vermos cãezinhos, e alguns gatos apresentarem manchas avermelhadas ou marrons nos pelos  junto aos olhos. O nome disto chama-se epífora e tem várias causas.

Nos cães, as raças mais acometidas são Poodles, Maltês, Bulldog Inglês, Lhasa Apso e Shih Tzu e os gatos que também sejam braquicéfalos, isto é, aqueles que possuem o focinho achatado.

Este focinho mais curto, e o globo ocular mais saltado dificulta a drenagem da lágrima. A drenagem das glândulas lacrimais no cão é feita através de orifícios superior e inferior, um canalículo superior e inferior, um saco lacrimal pouco desenvolvido e um duto nasolacrimal. Qualquer destas partes pode ficar obstruída, ou por inflamações ou por estreitamentos que ocorrem desde o nascimento, sendo inclusive por erros de origem genética. Continue Reading →